Famílias Arco-íris?

quem são as famílias arco-íris? Testemunhos e realidades.

o saber não ocupa lugar

estudos sobre parentalidades, nova investigação científica, posições oficiais de ordens profissionais, etc

Recursos

Dicas, ideias e conselhos para mães & pais, para aspirantes a mães & pais, e para outr@s educador@s

notícias

Novidades sobre a vida de famílias arco-íris, em Portugal e no mundo.

agenda

Atividades e encontros, dentro e fora de Portugal

Home » Recursos

(tudo) Sobre inseminação artificial: parte 2

Submitted by on Friday, 29 June 201232 Comments

Clínicas na Europa

Apresentamos uma lista de algumas clínicas em que mulheres solteiras ou numa relação com outra mulher podem recorrer para Inseminação Intra-Uterina (IUI) ou Fertilização In-Vitro (FIV) na Europa. A lista não é exaustiva e pretende somente dar algumas pistas a nível de possibilidades e preços. Todas as informações listadas requerem confirmação individual, por via de contacto direto com o estabelecimento de reprodução medicamente assistida, para o caso de cada mulher ou casal. A avaliação dos preços que apresentamos é meramente indicativa e refere-se somente ao custo de um tratamento de IUI (Inseminação Intra-Uterina), sem contar com despesas de alojamento e viagem.


Bélgica

Centrum voor Reproductieve Geneeskunde
Universitair Ziekenhuis Brussel
(Bruxelas)
http://brusselsivf.be/
(Dador Anónimo ou Dador de Identidade Aberta)



Dinamarca

Copenhagen Fertility Center (Copenhaga)
http://www.copenhagenfertilitycenter.com
(Dador Anónimo)


StorkKlinik (Copenhaga)
http://www.storkklinik.dk/en/
(Dador Anónimo ou Dador de Identidade Aberta)

Vitanova (Copenhaga)
http://www.vitanova.dk/en/
(Dador Anónimo ou Dador de Identidade Aberta)


Espanha

Clínica Eugin (Barcelona)
http://www.eugin.net/
(Dador Anónimo)

 

IVI (Barcelona, Madrid, Sevilha, Vigo et al)
http://www.ivi.es/pt/
(Dador Anónimo)

Instituto Extremeño de Reproducción Asistida González Carrera (Badajoz)
http://www.ieragc.com/
(Dador Anónimo)

 

Clínicas Ginemed (Sevilha)
http://www.ginemed.es
(Dador Anónimo)


Inglaterra

The London Women’s Clinic (Londres)
http://www.londonwomensclinic.com/
(Dador de Identidade Aberta)

Fertility Plus (Londres)
http://fertilityplus.org.uk
(Dador de Identidade Aberta)


Irlanda

Sims IVF (Dublin)
http://www.sims.ie/
(Dador de Identidade Aberta)


Luxemburgo 

Centre Hospitalier de Luxembourg
Centre de Stérilité et de la Médecine de Reproduction

http://www.chl.lu/maternite/consulter-un-medecin-a-la-maternite
(Dador Anónimo ou Dador de Identidade Aberta)

 


Países Baixos


Medisch Centrum Kinderwens (Amsterdão)

http://www.mckinderwens.nl
(Dador de Identidade Aberta*)

 


Sobre os Dadores de Esperma

É de salientar que a possibilidade ou não de escolher o tipo de dador (Anónimo ou de Identidade Aberta) depende da legislação do respetivo país ou da política da própria clínica. Por exemplo, no Reino Unido, Suécia e Países Baixos* só é possível inseminação com Dador de Identidade Aberta. Em Espanha, por outro lado, só é possível inseminação com Dador Anónimo.

Se receber tratamento com esperma de um dador de um Banco de Esperma específico é por exemplo uma questão importante, fique a saber que nem todas as clínicas aceitam utilizar dador de outro banco que não o próprio da clínica e, por esse motivo, essa questão deve ser colocada a priori nos contactos efetuados.

Por fim, nalgumas clínicas também é permitido inseminação ou FIV com um dador conhecido, mas para tal a doação terá de passar primeiro pela quarentena de 6 meses, portanto aconselha-se uma programação atempada se for essa a opção desejada.

*No caso dos Países Baixos as crianças podem, a partir dos 16 anos, solicitar a revelação da identidade do dador; caso o dador se recuse o caso poderá ser decidido em tribunal.

O que é um Dador de Identidade Aberta?

É um dador que autoriza que as crianças geradas a partir do seu esperma o conheçam após completarem 18 anos, se assim desejarem.

Sobre os Custos da Reprodução Medicamente Assistida no Estrangeiro

Só é possível fazer uma avaliação objetiva dos custos para cada caso conhecendo não só os preços, mas também as condições das clínicas. Por exemplo, umas clínicas podem permitir fazer a consulta inicial por telefone ou Skype, outras – na maioria dos casos – podem exigir consulta prévia presencial, o que pode implicar mais custos de viagem e alojamento em relação ao primeiro caso. Umas clínicas podem não cobrar nada extra por se utilizar um dador de Banco de Esperma externo à própria clínica – imaginemos que quer recorrer a um dador de identidade aberta e a clínica onde irá receber o tratamento só tem dadores anónimos -, outras sim. Algumas clínicas poderão cobrar um valor extra e ter, até mesmo, uma lista de espera mais longa se o tratamento for para uma paciente ou um casal do estrangeiro, enquanto outras não.

Depois também vale a pena saber quais os meios de transporte disponíveis e os seus custos usuais, nomeadamente tendo em conta a possibilidade de ser necessário marcar viagem só com um ou dois dias de antecedência. Portanto, é necessário explorar cada caso, se o fator financeiro for importante.

Esta é a segunda parte do artigo (tudo) Sobre inseminação artificial. Leia aqui a parte 1

32 ideias »

  • famílias arco-íris » (tudo) Sobre inseminação artificial: parte 1 acha:

    […] aqui a 2ª parte desta […]

  • morango azul acha:

    Talvez seja mae solteira. A questão que coloco prende-se com a filiação. Quando chegar á hora de registar a criança e me perguntarem quem é o pai, o que digo???

  • Famílias Arco-íris (author) acha:

    Olá
    Bom, dizes o que tiveres planeado dizer. É claro que aconselhamos sempre a verdade – quanto mais se calam as pessoas e se escondem as famílias menos visibilidade temos e mais dificil é obter igualdade – mas na verdade cada pessoa e cada família tem a sua zona de conforto e faz as suas escolhas, não é?
    De qualquer modo há quem diga “não sei”, há quem diga “não me lembro”, e há cada vez mais quem diga que é indiferente porque é uma criança planeada a duas (ou a uma) e não vai ter pai. E mais nada.

  • Adriana acha:

    Boa noite, eu e a minha namorada começamos agora a planear o nosso bebe, gostaria de saber se conhecem algum fórum ou algo do género, onde possa falar com mães que tenham já feito inseminação.
    Obrigado
    Adriana

  • Emma acha:

    Bom dia,

    Eu sou solteira e queria muito ser mãe, mas preferia que o dador fosse uma pessoa da minha confiança.
    Tenho inclusivé um grande amigo que é gay e está disposto a ser o dador e a assumir a paternidade da criança.
    No entanto, esta é uma situação que a lei portuguesa não aprova, a menos que seja casada ou viva em união de facto e seja provada a infertilidade de um dos conjuges.
    Será que no estrangeiro é possível recorrer à inseminação artificial tendo em conta a nossa situação?

    Obrigada,
    Emma

  • Famílias Arco-íris (author) acha:

    Claro, claro que será possível… no estrangeiro. Boa sorte.

  • D acha:

    Boa noite.
    Mais uma vez, ao fim de tanto pesquisar, continuo na mesma dúvida: a inseminação é feita no estrangeiro, por exemplo, em Espanha. Mas quando se chegar a Portugal e for hora de registar a criança, que nome se mete para o “Pai”? é que saiu uma lei à pouco tempo em Portugal em que deixa de ser permitido aquilo de Pai Incógnito. O que dizer neste caso? Posso sempre contar a verdade mas não resolve nada visto que tem obrigatoriamente que ter um nome no espaço onde diz “Pai”.
    O maior problema é mesmo este.
    Outra coisa, essas clínicas dispõe de dadores já incluídos ou o dador temos que ser nos a arranjar à parte e nessas clínicas só fazem a inseminação?
    Obrigada!

  • Famílias Arco-íris (author) acha:

    Olá
    as crianças fihas de um casal de pessoas do mesmo sexo só podem ser registadas com o nome de um/a d@s pais ou mães, sim. O outro nome fica em aberto, não aparece – o que mudou é que deixou de aparecer “incognit@”.
    Quanto às clínicas, tratam de tudo. Como explica o artigo, algumas aceitam dadores de outros bancos. Aconselhamos a verem todos os pormenores com as clínicas antes de escolherem definitivamente.

  • melpomene acha:

    Bom dia,

    Eu estou a planear ser mãe, juntamente com a minha companheira. Estive a pesquisar e encontrei a Cryos, na Dinamarca, que envia IUI e IVI para clientes privados, bem como para clínicas. O meu objectivo é realizar uma (ou quantas forem necessárias) inseminação caseira. Gostaria de saber se a lei portuguesa me permite receber como privada amostras de esperma, ou se está sequer regulamentado, e se não for possível, se há forma de contornar para poder concretizar o meu objectivo (sonho).

    Muito obrigada,
    Ana

  • Famílias Arco-íris (author) acha:

    Ola
    estamos em fase de testes do nosso forum e a sua questão é ideal para ser lá colocada, pode ser?
    http://familias.ilga-portugal.pt/tal-ki-forum#/acesso-a-parentalidade/
    basta abrir um novo tópico.
    Obrigada!

  • maria acha:

    Olá!

    Eu sou mãe solteira por opção e heterosexual. Fiz uma inseminação em Espanha em 2006. Tive muita sorte e engravidei logo à primeira tentativa. Quando fui registar o meu filho disse que ele ia ser registado sem nome de pai. Quando isto acontece, a Conservatória envia o processo para o Tribunal de Família e Menores para o joíz abrir um processo de averiguação oficiosa da paternidade, já que, em princípio, toda a gente tem de ter nome de pai. Passados seis meses fui notificada para ir a tribunal e levar duas testemunhas.Fomos e contámos que eu tinha feito a inseminação em Espanha, levei fotocópias de toda a documentação da clínica para o comprovar. Passados alguns meses, recebi a sentença em casa: o processo foi arquivado devido à impossibilidade de saber quem é o pai, já que o dador tem garantia de anonimato e confidencialidade.

  • maria acha:

    Quanto à questão de dizer à criança o modo como foi concebida, no caso de se ter recorrido a inseminação com semén de dador, o melhor é contar uma história simples: a mãe (ou mães) desejavam muito ter um filho mas não tinham um namorado para pôr a sementinha. Então, souberam que havia uns senhores muito generosos que davam as deles e que só era preciso a mãe ir ao médico para ele colocar a sementinha desse senhor junto à dela, dentro da barriga, para começar a crescer o bebé. Podemos compor a história com mais pormenores, ir contando ao longo do tempo…

  • maria acha:

    E, já agora, há por aí mais mães solteiras por opção heterosexuais?

  • D acha:

    Olá! Obrigada pela ajuda! Já agora, que idade tinha quando recorreu à inseminação em Espanha? Em quanto ficou com descolamento, estadia e tratamento? A inseminação tem uma taxa de sucesso bastante baixa não é?
    É possível dar-me um email ou o seu Facebook para falarmos um pouco melhor? Penso que é a pessoa ideal para me esclarecer um pouco este assunto, tenho várias dúvidas e não conheço pessoalmente pessoas a quem perguntar sobre isto ou até mesmo falar, porque não aceitam muito bem este assunto! Inclusive a minha própria família 🙁
    Obrigada!

  • maria acha:

    Bom dia!

    Eu tinha 37 anos e o meu filho nasceu quando eu tinha 38. A inseminação e os medicamentos ficaram em cerca de 1000 euros. A estadia depende do hotel que escolhas, entre 25€/ noite e 100€/noite. A viagem também depende, há voos low cost bastante acessíveis para Madrid e até se pode ir de carro. Em cada inseminação as probabilidades de engravidar são de cerca de 25%.
    Envio o meu email para falarmos melhor e esclarecer-te no que precisares: angelinachitas@gmail.com De onde és? Há muita gente do norte que, em vez de ir a Madrid, vai a Vigo, fica mais perto.
    Até breve!

  • Alexandra Boga acha:

    Muito obrigado pelo artigo e pelas respostas! 😀

  • Helena acha:

    Olá meninas, e em especial para a Emma: se tens um amigo de confiança que te quer ajudar a ser mãe porque não fazes a inseminação em casa? Controlas o teu período fértil e chegada a altura pedes ao teu amigo que colecte o esperma para um potinho (de análises por ex.)ou mesmo num preservativo, depois sugas com uma seringa (sem agulha óbvio) e introduzes no fundo na vagina.
    😉

  • Rita acha:

    Gostaria de saber qual o comprimento do tubo, que se pode introduzir na vagina quando se faz inseminação caseira

  • Sofia acha:

    Olá,

    Sou heterosexual e solteira. Desejo muito ser mãe. Neste momento estou a procura de informações sobre as melhores clinicas para fazer inseminação com sémen de dadador anónimo. Alguém conhece a Ginemed? Trabalha coma clinica Maló em Lisboa e depois de pedir informações dizem que posso fazer tudo cá em Lisboa e apenas tenho que ir a sevilha fazer a inseminação. Alguém sabe os custos que pode ter um procedimento deste tipo?
    Obrigada!

  • carla acha:

    ola sou a Ilsa, ja fiz a fertelizaçao duas vezes e daqui ha um mes vou me submeter a treceira, e Deus queira que corra tudo bem dessa vez. Gostaria de saber quanto e que vai custar me ir a espanha com meu marido e fazer um fiv la.

  • Marisa acha:

    Bom dia,

    Eu e a minha namorada queremos ter um filho mas, a ideia que temos é, uma dá o ovulo para fecundar mas quem faz a gestação é a outra. logo, tem que se fecundar o óvulo de uma e depois inseminá-lo na outra. nem sei bem onde fazer isto, tirando que sei que em Portugal é impossivel. Se alguém me pudesse ajudar nesta questão e se tivesse uma ideia do valor que será, ficava extremamente agradecida.
    Tenho outra questão que se refere ao registo da criança, sei de ante-mão que em Portugal, mais uma vez, é impossivel, no entanto tenho esperança que noutro país dê. Registar a criança no nome das duas mães. Onde precisa nascer a criança para ficar registada nas duas?

    Agradeço imenso a atenção

  • cledina acha:

    quero muito fazer a inseminacao artificial, meu marido e vasectominado, e nosso sonho ter nossa familia, eu sou fertil, e gostaria de ter contatos com quem ja fez ,,, obg

  • Maria José Silva Gomes acha:

    Ola boa tarde! Sou Maria José e tenho 40 anos! Eu e o meu marido estamos à 5 anos a tentar para que tivéssemos 1 filho! Acontece que já fui ao medico,o meu marido já fez 1 espermograma e os médicos dizem que esta tudo bem! Nos já temos filhos de relações anteriores, não sei o que fazer, nem se ei_de acreditar nos médicos? Ou tenho que esperar que aconteça? Já tenho 40 anos!

  • Maria José Silva Gomes acha:

    Gostávamos muito ter 1 filho! É muito importante para nós!!

  • Elisa acha:

    Olá, alguém me sabe dizer se em Portugal é permitido a uma pessoa particular, comprar e importar amostras de sémen para inseminação artificial caseira? A Cryos International Denmark, exporta sémen para vários países do mundo, mas não sei se em Portugal é permitido a importação por parte de pessoas partuculares… alguém sabe???

  • PAulo acha:

    Gostaria de ser doador ,mas existe ainda muito preconceito da parte das pessoas e tambem das instituições em nao aceitarem este tipo de proposta,

    pdiasa1970@gmail.com

  • Noa acha:

    Para toda persona interesada en reproducción asistida y fertilidad, recomiendo este portal con información muy útil y detallada sobre clínicas en toda España, técnicas, tratamientos, consulta a expertos, etc. Espero que les sirva. Un saludo.

  • Paula acha:

    Olá. Tenho 51 anos e casei por 2 vez meu actual marido não tem filhos e ele gostaria muito. Eu tenho 2 filhos do 1 casamento 1 de 24 outro de 22 só que eu fiz laqueação após o nascimento do meu filho. Eu gostaria de saber se isiste a possibilidade de eu fazer inseminação com a minha idade e quais são os custos. Obrigado

  • Joana acha:

    Bom dia!

    Eu já tenho 50 anos. Será que ainda é possível eu e o meu marido, de 56 anos, termos um filho, com a vossa ajuda? Era o nosso desejo mas eu particularmente, tenho muito receio, dado a idade, pois penso que poderei vir a ter problemas de saúde. Até aqui temos sido bastante saudáveis, graças a Deus. Se for possível , quais são os riscos para a minha saúde e a do futuro bébé? É importante dizer que o meu período já é raro.

    Solicito umas luzes que me orientem para uma decisão mais acertada.
    Muito agradeço a atenção dispensada e aguarda com serenidade a V. resposta.

    Obrigado.
    Joana

  • Daiane acha:

    Olá! Eu e minha namorada estamos tentando ter um filho… aqui em Portugal, já foi aprovada a lei, porem, só para final do ano de 2016 que as clínicas começarão a fazer… mas digo q ainda há muito q se atualizar aqui em Portugal… a começar pelo tratamento mais humanizado e menos discriminatório.
    Fizemos a nossa primeira tentativa na IVI Sevilla, fomos super bem tratadas… porém não foi a primeira para realizar nosso sonho… vamos tentar de novo… ??
    Gostava de saber se alguém já fez na IVI e como correu?

  • Gina acha:

    Paulo, boa noite, ainda está interessado em ser doador?

  • Valeria acha:

    bom dia,gostaria de saber como posso faser insiminacao artificial em casa ,caseira em lisboa obrigado

Partilha as tuas impressões!

Escreve o teu comentário. Podes fazer trackback do teu site ou subscrever atualizações dos comentários subscribe to these comments via RSS.

Partilha todas as boas ideias. E enterra as outras :)

Podes usar as seguintes tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Este blog aceita Gravatar. Arranja um aqui!.