Famílias Arco-íris?

quem são as famílias arco-íris? Testemunhos e realidades.

o saber não ocupa lugar

estudos sobre parentalidades, nova investigação científica, posições oficiais de ordens profissionais, etc

Recursos

Dicas, ideias e conselhos para mães & pais, para aspirantes a mães & pais, e para outr@s educador@s

notícias

Novidades sobre a vida de famílias arco-íris, em Portugal e no mundo.

agenda

Atividades e encontros, dentro e fora de Portugal

Home » notícias

Novas famílias e novas formas de parentalidade

Submitted by on Sunday, 5 August 2012No Comment

Um estudo sobre “Novas famílias e novas formas de parentalidade” indica que a inseminação artificial em Espanha, a adopção individual e os “arranjos informais” entre amigos são estratégias dos casais homossexuais portugueses casados para ter filhos.

Numa amostra de 20 casais do mesmo sexo casados pelo civil, encontrou-se uma “multiplicidade de estratégias” para conseguirem ter filhos, disse à Lusa a coordenadora do estudo, Sofia Aboim.

As entrevistas realizadas a casais homossexuais, que celebraram casamento, indicam que as estratégias mais recorrentes são a inseminação artificial em Espanha, em clínicas privadas, mas também a adopção individual, por parte de um dos membros do casal, e os “arranjos informais” entre amigos, explicou a investigadora do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa.

Algumas das mulheres que foram entrevistadas neste estudo, já fizeram inseminações artificiais em Espanha ou projectam ter um filho recorrendo à inseminação artificial em Espanha, porque no país vizinho é permitida a inseminação em mulheres solteiras ou casadas com outras mulheres, facto que é proibido em Portugal.

Na vizinha Espanha foi aprovada uma lei do casamento com pessoas do mesmo sexo, com acesso à adopção e à procriação medicamente assistida.

Em Portugal é permitido o casamento civil entre duas pessoas do mesmo sexo desde setembro de 2010, altura em que foi publicada a lei em Diário da República

Esta lei não implica, no entanto, a “admissibilidade legal da adoção, em qualquer das modalidades, por pessoas casadas com cônjuge do mesmo sexo”.

“É difícil calcular o número de casais do mesmo sexo que se encontram na situação”, admitiu a socióloga, referindo, todavia, que “esta população” estabelece este tipo de estratégias variadas e tenta contornar os “obstáculos” legais, porque tem “uma grande ânsia de formar uma família” e ter “direito a ter filhos”.

in Correio da Manhã, 26 julho 2012

NOTA: o título original, “Casais gay recorrem à adopção individual”, é tão despropositado e em contradição com a notícia em si que mesmo utilizando uma citação da notícia preferimos alterar o título. Aqui fica a nota e a eterna esperança num melhor jornalismo.

Partilha as tuas impressões!

Escreve o teu comentário. Podes fazer trackback do teu site ou subscrever atualizações dos comentários subscribe to these comments via RSS.

Partilha todas as boas ideias. E enterra as outras :)

Podes usar as seguintes tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Este blog aceita Gravatar. Arranja um aqui!.