Famílias Arco-íris?

quem são as famílias arco-íris? Testemunhos e realidades.

o saber não ocupa lugar

estudos sobre parentalidades, nova investigação científica, posições oficiais de ordens profissionais, etc

Recursos

Dicas, ideias e conselhos para mães & pais, para aspirantes a mães & pais, e para outr@s educador@s

notícias

Novidades sobre a vida de famílias arco-íris, em Portugal e no mundo.

agenda

Atividades e encontros, dentro e fora de Portugal

Home » estudos, o saber não ocupa lugar

Estudo: qualidade das relações estabelecidas com mães e com os pais

Submitted by on Friday, 18 December 2015No Comment

danielaDiscrimination and Mental Health Among Gay, Lesbian, and Bisexual Youths in Portugal: The Moderating Role of Family Relationships and Optimism

Daniela F. Freitas, Anthony R. D’Augelli, Susana Coimbra & Anne Marie Fontaine

Este estudo investigou as relações entre a saúde mental, a perceção de discriminação (tratamento injusto e rejeição pessoal), o otimismo familiar e a qualidade das relações estabelecidas com mães e com os pais (satisfação, intimidade, valorização e conflito), numa amostra aleatória de 84 adolescentes lésbicas, gay e bissexuais (LGB), estudantes de ensino secundário em Portugal. Os resultados revelam que os participantes com níveis mais elevados de saúde mental vivenciaram menos discriminação, sentem-se mais valorizados pelos seus progenitores do sexo masculino, têm menos conflitos com ambos os pais e pertencem a famílias com maiores níveis de otimismo. Não foram observadas associações entre a saúde mental e a satisfação e intimidade nas relações com ambos os pais e na valorização expressa pelas mães. Os resultados revelam que o otimismo familiar e a valorização expressa pelos pais são promotores da saúde mental, porém não anulam os efeitos nocivos da perceção de discriminação na saúde mental. O conflito com ambos os pais moderou a relação entre discriminação e saúde mental, observando-se que ter conflitos frequentes com os pais aumenta o impacto negativo de atos ocasionais de discriminação na saúde mental. Os resultados evidenciam a pertinência de um ambiente familiar positivo como um mecanismo de compensação perante a discriminação, bem como a necessidade de reduzir os níveis de homofobia e heterossexismo em contextos sociais, a fim de promover o bem-estar dos adolescentes LGB.

ler aqui (em inglês)

Partilha as tuas impressões!

Escreve o teu comentário. Podes fazer trackback do teu site ou subscrever atualizações dos comentários subscribe to these comments via RSS.

Partilha todas as boas ideias. E enterra as outras :)

Podes usar as seguintes tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Este blog aceita Gravatar. Arranja um aqui!.