Famílias Arco-íris?

quem são as famílias arco-íris? Testemunhos e realidades.

o saber não ocupa lugar

estudos sobre parentalidades, nova investigação científica, posições oficiais de ordens profissionais, etc

Recursos

Dicas, ideias e conselhos para mães & pais, para aspirantes a mães & pais, e para outr@s educador@s

notícias

Novidades sobre a vida de famílias arco-íris, em Portugal e no mundo.

agenda

Atividades e encontros, dentro e fora de Portugal

Home » notícias

Convite para Participação em Investigação – PMA

Submitted by on Tuesday, 11 November 2014No Comment

825171Projeto de Investigação em Psicologia sobre a Homoparentalidade e Procriação Medicamente Assistida em Portugal

Convite para Participação em Investigação

Quem sou eu?

O meu nome é Joana Franco, tenho 26 anos e conclui o ano passado o mestrado em Psicologia Clínica pelo ISPA – Instituto Universitário. Paralelamente colaborei durante 3 anos com Centro Pré & Pós Parto (Lisboa) onde “despertei” para a área da gravidez e parentalidade. Foi a partir do contacto diário com casais grávidos e recém-papás e da curiosidade crescente sobre a Procriação Medicamente Assistida, que surgiu a ideia chave da minha dissertação de mestrado: estudar / compreender as vivências psicológicas de mulheres homossexuais que decidem ser mães via Inseminação Artificial.

Revelou-se um trabalho extremamente gratificante para mim e o seu sucesso
fez-me querer mais. Presentemente ambiciono dar continuidade à investigação das especificidades da Homoparentalidade via Procriação Medicamente Assistida e aprofundar os conhecimentos relativos aos processos psicológicos que lhe estão subjacentes.

Porquê investigar a Homoparentalidade?

Nas últimas décadas assistimos a diversas mudanças socio-políticas e culturais, bem como ao aparecimento de diferentes técnicas de Procriação Medicamente Assistida (PMA), que hoje possibilitam a muitas mulheres homossexuais o acesso à parentalidade aumentando assim o número de famílias homoparentais femininas.

Apesar destas evidências, a investigação em Portugal com estas famílias continua a ser escassa. Considero pertinente continuar a explorar o universo destas famílias, não através de uma comparação com o padrão heteronormativo, mas através da compreensão das suas singularidades. Considero relevante para a sociedade em geral, mas sobretudo para os prestadores de cuidados e serviços que interagem com estas famílias, o aumento das fontes de conhecimentos e evidências relativos às famílias
homoparentais. Não menos relevante será a expectativa de que a investigação contribua para as tomadas de decisão a nível político-legal. Num passado recente foram tomadas algumas decisões relativas aos direitos das pessoas homossexuais contudo, a constituição de família por pessoas do mesmo sexo continua a esbarrar em demasiadas lacunas legislativas.
Confio que a investigação poderá ter um papel importante na desmistificação da parentalidade por pessoas homossexuais e na construção de uma sociedade mais inclusiva.

Em que consistirá a investigação?

De uma forma muito sucinta, a investigação terá um caracter exploratório, focando-se nas vivências psicológicas e experiências significativas das mães homossexuais.

Poderão e deverão participar na investigação quer as mães biológicas quer as mães não-biológicas/afectivas, não sendo relevante o estado civil. É condição obrigatória à participação no estudo, que a parentalidade tenha surgido por recurso a técnicas de Procriação Medicamente Assistida ou através de Inseminação Caseira.

Serão realizadas algumas entrevistas em local, data e hora a acordar, havendo grande disponibilidade e flexibilidade por parte da investigadora. As entrevistas incidirão essencialmente em torno de 3 temas:

1. A escolha do método de Procriação Medicamente Assistida;

2. O papel do dador;

3. O envolvimento emocional auto-percepcionado pelas mães na relação com os seus filhos;

As entrevistas serão totalmente confidenciais, sendo o conteúdo das mesmas utilizado exclusivamente para efeitos de investigação. No relatório final, será igualmente garantido o anonimato das participantes por recurso a nomes fictícios. As participantes serão livres de anular a sua participação em qualquer momento da investigação.

Tratando-se de uma população de ainda difícil acesso, conto com a sua ajuda para o sucesso desta investigação. Para responder a este convite ou esclarecer quaisquer dúvidas adicionais deixo os meus contactos:

joanasofiafranco@gmail.com ou 913737933 / 925139561

Joana Franco

Partilha as tuas impressões!

Escreve o teu comentário. Podes fazer trackback do teu site ou subscrever atualizações dos comentários subscribe to these comments via RSS.

Partilha todas as boas ideias. E enterra as outras :)

Podes usar as seguintes tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Este blog aceita Gravatar. Arranja um aqui!.